A tokenização no mercado imobiliário.
753
post-template-default,single,single-post,postid-753,single-format-standard,bridge-core-2.5.9,translatepress-pt_BR,qode-page-transition-enabled,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,footer_responsive_adv,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-24.4,qode-theme-ligar design,wpb-js-composer js-comp-ver-6.4.2,vc_responsive

A tokenização no mercado imobiliário.

A tokenização no mercado imobiliário.

Muito tem se falado do mundo virtual (NFTs, tokenização, metaverso, blockchain) e seu potencial para negócios e investimentos. No ramo imobiliário, a tecnologia tem possibilitado o surgimento de novas formas de comercializar imóveis.

Uma delas é o processo de tokenização, que, de forma simples, é a transformação de um ativo real em digital, fragmentado em unidades criptografadas (os tokens). Ou seja, o proprietário de um ativo que existe no mundo real (um imóvel, por exemplo) pode emitir tokens que correspondam à totalidade ou fração daquele bem/direito, e negociá-los em ambiente virtual estruturado a partir da tecnologia blockchain, que garante segurança à transação.

Esse mercado já é uma realidade, tem representado ótimas oportunidades de negócios e deve crescer muito nos próximos anos. No entanto, falta regulamentação adequada, principalmente do ponto de vista registral, já que a propriedade de imóveis se transfere pelo registro nos cartórios.

Por isso, operações de tokenização imobiliária devem ser feitas com cautela e acompanhamento jurídico, para proteção das partes e suas expectativas.

Advogada Natalia Campioto



pt_BR