Participação de sindicato é imprescindível em dispensas coletivas
680
post-template-default,single,single-post,postid-680,single-format-standard,bridge-core-2.5.9,translatepress-en_US,qode-page-transition-enabled,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,footer_responsive_adv,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-24.4,qode-theme-ligar design,wpb-js-composer js-comp-ver-6.4.2,vc_responsive

Participação de sindicato é imprescindível em dispensas coletivas

Participação de sindicato é imprescindível em dispensas coletivas

O Supremo Tribunal Federal decidiu que é obrigatória a participação de sindicatos nos procedimentos para a dispensa em massa de trabalhadores (RE n. 999435).

O caso examinado pelo STF se relaciona à dispensa de aproximadamente 4.000 empregados da Embraer, em 2009. Por maioria, o Plenário entendeu que a participação dos sindicatos tem como objetivo estimular o diálogo, sem estabelecer condições ou assegurar a estabilidade no emprego. Em outras palavras, o sindicato tem que participar do processo, mas a dispensa coletiva não depende de autorização sindical nem da celebração de convenção ou acordo coletivo.

No julgamento, o STF fixou a seguinte regra, para casos futuros: “A intervenção sindical prévia é exigência procedimental imprescindível para dispensa em massa de trabalhadores que não se confunde com a autorização prévia por parte da entidade sindical ou celebração de convenção ou acordo coletivo”

Ante o entendimento do STF, mostra-se aconselhável que as empresas que tenham a intenção de proceder à dispensa coletiva de trabalhadores o façam com assessoramento jurídico que, inclusive, poderá definir a melhor forma de conduzir a questão junto à entidade sindical que representa tais trabalhadores.

Advogado Max Welington

Tags:
,


en_US